Pai

(Em homenagem a cada homem que cada filho no mundo chame de “pai”.)

Hoje, a minha dor é infinita,
O meu sorriso se apagou.
Meu melhor amigo partiu.
No meu coração, só a mágoa ficou.

Não sei por que te foste,
Sem ao menos um adeus.
Das lembranças que trago,
Guardo teu sorriso e teu abraço.

Pai,
Teu olhar profundo,
Tua voz alegre,
Tua vontade de viver.

De teus conselhos fizeste
Caminhos agrestes.
Seguiste
O mundo boêmio.
Foi o teu maior triunfo.

Pai,
Por que tanta tristeza
No teu olhar?
De ti me lembro,
A cada segundo,
Neste mundo
De violência e crueldade.

Só tu, meu amigo boêmio,
Ensinaste-me o mais belo
Sentimento.
O mesmo que me faz
Só a ti,
Para sempre amar.

Comentários