Blog

Caracóis de canela

*
Write a review
Print
Prep Time
2 hr 35 min
Cook Time
20 min
Prep Time
2 hr 35 min
Cook Time
20 min
Ingredientes
  1. 150 g margarina ou manteiga
  2. 1/2 litro de leite (pode ser de soja)
  3. 50 g (1 pacote) fermento
  4. 1/2 colher de chá de sal
  5. 150 g de açúcar
  6. 2 colheres de chá de grão de cardamomo moído
  7. Cerca de 1,4 kg de farinha (sem fermento)
Recheio
  1. 50-75 gr margarina/manteiga, à temperatura ambiente
  2. 150 g de açúcar
  3. 2 colheres de chá de grão de cardamomo moído/canela moída
Pincelar e enfeitar
  1. 1 ovo, açúcar perolado, flocos de amêndoas torradas
Modo de preparo
  1. Derreta a manteiga num tacho;
  2. Adicione o leite e deixe a mistura ficar morna (cerca de 37 ºC);
  3. Dissolva o fermento num recipiente com um pouco do líquido;
  4. Quando o fermento estiver ativado (formação de bolhas/espuma) adicione a 2/3 da farinha, juntamente com o resto do líquido, sal, açúcar e cardomomo;
  5. Amasse até a mistura ficar macia e elástica, 4 min com uma máquina, 8 min à mão;
  6. Adicione a restante farinha, mas deixe uma chávena para quando estender a massa;
  7. Deixe a massa levedar durante 30 min (dependendo da temperatura ambiente isto pode demorar muito mais tempo);
  8. Amasse novamente ainda dentro do recipiente e depois colocar tudo numa superfície enfarinhada para trabalhar a massa;
  9. Amasse novamente até a massa ficar homogénea;
  10. Divida a massa ao meio;
  11. Estenda cada pedaço num rectângulo;
  12. Misture os ingredientes para o recheio e espalhe;
  13. Enrole a massa recheada e corte o rolo formado em aproximadamente 24 pedaços;
  14. Coloque os caracóis em papel para ir ao forno, dentro de um tabuleiro, com o lado cortado virado para cima;
  15. Deixe levedar novamente, cobertos com um pano por cerca de 30 min (idealmente devem duplicar de tamanho, o que pode requerer mais tempo de fermentação);
  16. Pincele os caracóis com ovo e salpique-os com açúcar pérola ou flocos de amêndoa;
  17. Cozer cada tabuleiro num forno a 250 ºC por cerca de 5-8 min (ajustar este tempo dependendo do forno).
Notas
  1. Fotografia de: http://annesfood.blogspot.pt/
Irina Sopas http://irinasopas.com/

Pão de mistura

*
Serves 12
Write a review
Print
Prep Time
15 min
Cook Time
40 min
Total Time
2 hr 45 min
Prep Time
15 min
Cook Time
40 min
Total Time
2 hr 45 min
Ingredientes
  1. 200 g de farinha de aveia
  2. 300 g de farinha de amêndoa
  3. 500 g de farinha de trigo integral
  4. fermento q.b. para pão (1 kg de pão)
  5. sal q.b.
  6. 1 ovo
  7. 300 ml de óleo
  8. 500 ml de água morna
  9. 50 g de sementes de linhaça
  10. 50 g de sementes de chia
  11. 50 g de sementes de cardamomo (trituradas)
Modo de preparo
  1. Junte as farinhas, o fermento em pó, as sementes numa bacia e reserve;
  2. Bata o ovo, a água morna, o óleo com uma pitada de sal;
  3. Despeje a combinação líquida sobre as farinhas e misture com a mão (a massa não deve colar nas suas mãos, se necessário use mais farinha);
  4. Deixe a massa crescer por 1 hora;
  5. Divida a massa em pães de 150 g e deixe crescer por mais 1 hora;
  6. Leve ao forno pré-aquecido em 150 ºC por aproximadamente 40 min.
Notas
  1. Se quiser deixe arrefecer e congele.
Irina Sopas http://irinasopas.com/

Fudge

*
Write a review
Print
Prep Time
30 min
Total Time
7 hr
Prep Time
30 min
Total Time
7 hr
Ingredientes
  1. 1 lata de leite condensado (moça)
  2. 375 g de chocolate (para isso eu usei 225 g chocolate de leite e 150 g branco)
  3. 1 colher de sopa de açúcar de confeiteiro
  4. nozes, bolachas a gosto (seja criativo)
Modo de preparo
  1. Coloque tudo em uma panela e derreta. Continue a mexer;
  2. Pegue uma assadeira (19 x 30 cm) e coloque uma folha de papel manteiga nela;
  3. Quando o chocolate estiver derretido, coloque as nozes ou chocolate (ou ambos);
  4. Misture tudo e coloque na bandeja. Espalhe e leve ao frigorífico por cerca de 5 a 8 horas (apenas até que esteja firme);
  5. Em seguida, corte o fudge em cubos.
Notas
  1. https://www.facebook.com/Danis-choice-1666146336936782/
Irina Sopas http://irinasopas.com/

Turnovers de vegetais

*
Write a review
Print
Prep Time
20 min
Cook Time
30 min
Total Time
50 min
Prep Time
20 min
Cook Time
30 min
Total Time
50 min
Ingredientes
  1. 1 massa de pizza de pão de trigo (uso pronta, mas pode optar por fazer a sua)
  2. 1/2 de courgette
  3. 1 espiga de milho
  4. 3/4 de chávena de ervilhas verdes (frescas ou congeladas)
  5. 1 1/2 copo abóbora, cortada em cubos
  6. 1/2 de cebola vermelha pequena
  7. 2 colheres de sopa de queijo de cabra (ou um queijo alternativo livre de produtos lácteos se deseja que o turnover seja vegan)
  8. 2 colheres de chá de estragão
  9. 1/2 pimenta habanero finamente picada (omitir ou ajustar com base na tolerância de especiarias)
  10. sal e pimenta a gosto
  11. azeite q.b.
Modo de preparo
  1. Pré-aqueça o forno a 400 ºC;
  2. Preparação dos legumes: corte o courgette em cubos pequenos. Retire as sementes do milho. Retire a pele da abóbora e corte-a em pedaços de cerca de 1 cm. Corte a cebola em fatias pequenas. Esmague / pique o alho.
  3. Coloque os pedaços de abóbora em uma bandeja. Cubra com uma pequena quantidade de óleo e tempere com sal e pimenta. Coloque no forno a assar até que a polpa esteja suave no interior e ligeiramente estaladiça do lado de fora.
  4. Enquanto a abóbora estiver a assar, aqueça uma pequena quantidade de óleo na panela. Frite a cebola até ficar crocante (cerca de 3-5 min). Adicione o alho, a pimenta habanero, a abobrinha e o milho; deixe fritar até que os vegetais estejam cozidos. Retire do fogo. Acrescente o estragão e o queijo de cabra. Tempere com sal / pimenta a gosto.
  5. Cozinhe as ervilhas verdes e, em seguida, amasse-as ligeiramente;
  6. Separe a massa da pizza em 4 segmentos iguais. Estenda cada segmento até cerca de 4 mm de largura;
  7. Uma vez que a abóbora estiver torrada, passe o forno para 350 ºC. Misture a abóbora com o courgette e o mix de milho;
  8. Divida a mistura de vegetais em quatro partes iguais e coloque sobre o centro de cada pedaço de massa. Divida as ervilhas e coloque-as em cima dos legumes. Dobre a massa e feche-a ao longo das bordas com um garfo.
  9. Borrife levemente ou escove uma assadeira com óleo e coloque os turnovers na bandeja. Pincele uma pequena quantidade de azeite em cima de cada um e, em seguida, coloque no forno. Asse por 30 min, vire e asse por mais 10 min (tempo de cozimento pode precisar de ser ajustada com base no seu forno. Os turnovers devem estar prontos quando a crosta apresentar um tom dourado.
Notas
  1. Coma com salada ou desfrute puros.
  2. http://www.whole-healthandwellness.org/
Irina Sopas http://irinasopas.com/

Repolho recheado

*
Serves 3
Write a review
Print
Prep Time
15 min
Cook Time
10 min
Total Time
25 min
Prep Time
15 min
Cook Time
10 min
Total Time
25 min
Ingredientes
  1. 3 folhas de repolho ou couve da sua escolha
  2. recheio ao seu gosto (usei peito de frango desfiado com caril)
Modo de preparo
  1. Separe as folhas do repolho sem partir;
  2. Aqueça água numa panela grande o suficiente para as folhas entrarem inteiras;
  3. Quando a água estiver quente mergulhe o repolho por aproximadamente 4 min (tempo suficiente para branquear/amolecer, sem ficar desfeito);
  4. Mergulhe o repolho em água fria para cortar o cozimento;
  5. Escorra as folhas e encha as mesmas com o recheio da sua escolha;
  6. Feche a folha e use palitos para prender;
  7. Leve ao forno pré-aquecido a 180 ºC por 10 min.
Irina Sopas http://irinasopas.com/

Solha ao molho de limão com ervas

*
Write a review
Print
Prep Time
10 min
Cook Time
15 min
Total Time
25 min
Prep Time
10 min
Cook Time
15 min
Total Time
25 min
Ingredientes
  1. 2 solhas de 200 g
  2. 1 limão - sumo
  3. 2 colheres de sopa de margarina líquida culinária
  4. sal q.b.
  5. pimenta do reino q.b.
  6. alecrim q.b.
  7. cebolinho q.b.
  8. salsa q.b.
  9. tomilho q.b.
Modo de preparo
  1. Faça um golpe na diagonal em cada solha;
  2. Coloque o peixe num pyrex, tempere com o sal e a pimenta do reino - reserve;
  3. Num recipiente misture o limão, a margarina, o sal e as ervas picadas;
  4. Espalhe o molho em cima do peixe;
  5. Leve ao forno pré-aquecido em 180 ºC por 15 min.
Notas
  1. Acompanhe com arroz branco e salada.
  2. Pode utilizar peixe linguado se desejar.
Irina Sopas http://irinasopas.com/

Coentro: mais aroma, mais sabor

Coentros

Digam o que quiserem, mas para os amantes da culinária o coentro é tão importante como o álcool para os bêbados. Repleto de aroma e sabor, é uma erva com utilidade ilimitada, servindo como tempero de carnes e peixes, chás medicinais e até mesmo para adornar os pratos e torna-los mais requintados. Infelizmente em Portugal é um roubo a luz do dia, alcançando valores exorbitantes como 1,00 euro por 100 gramas, o que dá aproximadamente  1,13 dólares ou 4,42 reais! Como? Quando? Por quê? Não faço a menor ideia, desse modo optei pelos sacos de sementes que me permitem vários cultivos e custam o mesmo valor.

FICHA TÉCNICA

ORIGEM: mediterrâneo e médio oriente.
ESPÉCIE MAIS COMUM: coriandrum sativum.
NOMES MAIS COMUNS: coentro, cilandro, cilantro.
ALTURA: entre 40 a 60 cm de altura.
GERMINAÇÃO: de 7 a 21 dias.
MANUTENÇÃO: simples.
SUBSTRATO: bem drenado.
LOCALIZAÇÃO: pode ser cultivado em lugares ensolarado ou em sombra parcial.

COMO CUIDAR

Assim como a salsa o coentro não exige muitos cuidados, porém na minha pouca experiência concluí que é mais sensível do que a maioria das ervas, não suportando temperaturas extremas, especialmente calor e muita exposição solar, pois acreditem ficou totalmente queimado, coisa que não aconteceu com o restante das aromáticas.

PLANTIO

A temperatura ideal para cultivo do coentro é em torno de 27°C, porém em apartamento – meu caso – estufas e semelhantes é possível cultivar o ano inteiro independente do clima, contanto que esteja protegido de altas e baixas temperaturas. Entrementes se quiser acelerar a germinação nos meses mais frios pode deixar as sementes de molho em água de 1 a 3 dias. Mais uma vez em correspondência com a salsa o coentro pode ser cultivado em jardineiras, vasos e canteiros, desde que de forma definitiva, pois não é tolerante a transplantes. As sementes devem ser semeadas em até 1 cm de profundidade com espaçamento de 3 cm.

20151019_083406

Vale ressaltar que com temperaturas muito quentes, o coentro irá florescer e virar semente (fiquei muito chateada quando isso aconteceu), cabe a si, decidir o que fazer:
a) se pretende utilizar as sementes, deixe florescer, desse modo poderá utilizar as sementes na culinária.
b) a segunda opção é deixar as sementes caírem naturalmente para que sejam germinadas no futuro com as regas.
c) opção mais radical é cortar o coentro rente e esperar que novas folhas cresçam (adoptei esta).

LOCALIZAÇÃO

Mais uma vez a minha experiência (péssima) fez-me descobrir que o coentro gosta de sol/calor apenas em fase de germinação e para crescer, podendo ser mantido o restante do tempo em local ensolarado ou em sombra parcial já que as suas folhas são sensíveis e queimam facilmente.

REGA

Durante a fase de germinação pode pulverizar o solo com água para evitar o deslocamento das sementes, ou utilize um regador de criança como eu. É importante que nesta fase o solo se encontre sempre húmido, o que não se faz necessário quando a erva crescer. Embora necessite de água, o solo não deve ficar encharcado e as regas devem ser espaçadas para que o mesmo seque entre uma rega e outra. Lembrando que não se deve aguar por cima, para não queimar as folhas.

ADUBAÇÃO

Correndo o risco de ser repetitiva não sou a favor de adubar ervas, ainda assim se decidir, utilize um fertilizante de nitrogénio solúvel em água, mas tenha cuidado para não exagerar.

COLHEITA

Coentro semeado e crescido, quando colher? A colheita dá-se entre a 30 a 70 dias após a germinação, ou quando as hastes atingirem entre 10 a 15 cm. Deve ser feita apenas pelas folhas mais externas e mais altas, pois são as que se encontram em idade adulta, fortalecidas, evitando o seu enfraquecimento. Corte rente a raiz. Em principio crescerá novamente por dois a três ciclos.

PRAGAS E DOENÇAS

Por incrível que pareça o coentro foi uma das poucas ervas da minha horta que não foi vitimado por pragas e doenças, desse modo não posso falar acerca disso, recomendo apenas que retirem as plantas invasoras que se misturam a erva para evitar que roubem os nutrientes do solo.

Fonte

Hortas Info

Orquídeas – Mudança de Vaso

Orquidea 2AO Verão acabou e com ele o colorido das orquídeas. As hastes secaram, as flores caíram e tudo o que resta é o lindo verde das folhas.

É nesse momento que a mudança de vaso se torna possível ou não. Assim como o corte das hastes, a época para transferência de orquídeas de um vaso para o outro é controversa.

Infelizmente os orquidófilos não chegaram a um consenso, e para os aprendizes como eu isso pode ser um drama. Dessa forma decidi seguir o conselho da moça da Central de Jardinagem, e optei por fazer a troca de vaso agora, pois embora não seja o momento do nascimento de novas raízes e brotos, também não há chance de danificar as flores e hastes.

COMO FAZER A MUDANÇA DE VASO 

1. Para desprender as raízes da orquídea mergulhe o vaso em um balde/bacia com água e fertilizante para orquídeas por alguns minutos.

20150919_164308

2. Enquanto elas ficam submersas, prepare o novo vaso colocando o substrato especifico para orquídeas no fundo.

20150919_164256

3.  Retire a orquídea da água e pode as raízes mortas assim como pseudobulbos muito antigos (se preferir ao invés de descarta-los tente fazer novas mudas a partir dos pseudobulbos).

20150919_164352

4. Por fim com muito cuidado coloque a orquídea no novo vaso sem danificar as raízes. Ela deve entrar sem ser pressionada. Complete com substrato.

20150919_172854

Observação: não regue a orquídea pelos próximos dias para não apodrecer a raiz.

Quando amamos

Quando amamos,
Cometemos loucuras.
Não ouvimos sequer
A voz da consciência,
Partimos para aventuras.

Cegos, surdos e mudos,
Não temos hora nem pressa.
Só vivemos para aquele mundo,
Até fazemos promessa.

Quem ama,
Chora e sorri de felicidade,
Sente saudade de tudo
Do primeiro olhar, do primeiro beijo
Do primeiro encontro; em tudo
Vê o presente, o passado e o futuro.

Quando amamos,
Praticamos todos os verbos,
Que a vida ensina.
Mas, começamos sempre
Pelo primeiro…
AMAR.