Por Ricardo Alves

Aeroporto

Das verdades que aprendi na vida,
Todas falavam de amor e paixão.
Sobre todas palavras mal ditas
Enxuguei as lágrimas caídas no chão.

Retire a dor contida no peito
Que em outra palavra se diz solidão.
Há flores secando no jardim
E pessoas brigando em vão.

Um rosto bonito como o seu
Ninguém deve ferir com a própria mão.
É triste ter que partir
Sem um beijo para guardar no coração.

O vazio que se cria e fica
Forma um rio de saudade na escuridão.
A verdade, a mais pura verdade
Faltou em você um pouco de compreensão.

E aonde quer que esteja me escute
Para saber o quanto faz sofrer essa paixão.
Sei que é tarde e estou de partida,
Pegarei o próximo avião.

Violência Urbana – Out Door

Vejo teu rosto nas placas de publicidade
Pelas ruas onde ando o dia inteiro
Te ligo para dizer: meu amor, estou com saudade
Da minha pequena cidade do interior.

De brincar nas cachoeiras, nos riachos.
Diacho de tamanha poluição,
E os barulhos dos carros me incomodam.
Acorda selva, sonhei
Prefiro viver no meu sertão.

Já não saio à noite
Com medo dessa violência urbana,
Mas, você me diz: cidade grande é mesmo assim.

Não adianta fugir
Ou refugiar na cama.
Meu medo faz ter pena de mim.