Por Nzuze Utola

Dona Peixeira

Todos os dias caminha trilhando a areia quente do mar
Percorre kilometros gritando em algazarra “é peixe, é peixe”
Ela sabe que para ganhar o dia nao pode “mayar”
Tem que bumbar, caminhar, gritar e cuidar da vida familiar
Seu grito é como um berrante, que disperta a vizinhança
Como as carrinhas de gelados com canções de criança

É peixe é peixe, grita ela como o galo despertador
Está sempre bem disposta e sempre a seu favor
“Dona Peixeira, o peixe é quanto?”
“Três quinhentos” – e sempre com um tom acolhedor
Dona peixeira, sou para além de seu cliente, seu admirador.

Negra de Carapinha Dura

Foste esquecida mas continuas viva
Porque não aderiste à global vulgaridade
És uma relíquia que brilha que nem brasa
Teu valor é real que nem de Sua Majestade
A tua coroa não é vista mas ela existe
Só não vê quem não quer
Nkaji yame… Como eu admiro o teu belo ser!

Tu não recuas e nem avanças
És simplesmente original
É que não percebem que a tua beleza não se alcança
Por seres 100% natural
Pós se é de alguém que me ature que ando a procura
Então achei-te, minha negra de carapinha dura

Tudo em ti é orgânico até as tuas zangas
O teu paladar é doce e tão natural como a manga
Tu és a receita mais eficaz do meu nutricionista
As vezes me pergunto se tu és a obra ou o artista
Este teu sorriso largo e invejado
Contagiante, sedutor e desejado
É mentira! Tu és o poder ocultado

Os teus guerreiros ficaram cegos contaminados pela idiotice
Um guerreiro viu-me a passar pela rua e me disse
Mulher para mim só com cabelo liso e longos
Virei as costas ao viajante perdido, e a ela falei bem baixinho
Pós se é de alguém que se valorize que ando a procura
Então achei-te, minha negra de carapinha dura

*O termo “Nkaji yame” – Significa “Minha esposa” na lingua Kimbundu.

Nosso Sonho Caroço

Sonhei um sonho meu
No meu sonho sonhavas um sonho seu
No teu sonho estava Você e eu
Nos dois sonhos você era toda minha e eu todo seu

Ai que sonho meu!…
No meu sonho estávamos no céu
No teu estávamos em lua-de-mel
Nos dois sonhos estávamos no céu em lua-de-mel

Este nosso Sonho caroço
Que hoje nos põe juntos no mata-bicho e no almoço
Fez-nos apaixonar um pelo outro
Desde caroço, ele não era só teu, nem só meu, já era nosso.

*Mata-bicho (nome atribuido a primeira refeicao em Angola)

*Nzuze Utola, nasceu em Quicabo em Angola e reside em Londres. É formado em Ciências de Computação e Gestão Informática. É músico, produtor musical e compositor. Integra desde 1994 o grupo angolano “Zona Kidi”. Descobriu seu talento para a poesia e para a música através da sua irmã que era integrante do grupo de coristas da Igreja Metodista Unida Central de Luanda, onde costumava levar Utola para assistir aos ensaios. Participou da Antologia Poetas da Confraria (Editora Sapere, 2012).