MENDIGO

Que olhar triste e sofrido,
Deste irmão destroçado pela vida,
Desejando um pouco de amor.
Num gesto, pede, suplica
Um carinho, um abraço fraterno.
Porque já no leito materno,
Ao nascer, tudo perdeu.
Não resisto em dar-lhe
A minha mão…
Com ele caminho,
Vamos andando sem rumo.