DESEJO INSANO

Deixa-me beber no cálice da tua boca, Sentir o aroma do teu corpo na minha tez, Acariciar e dominar a tua alma, Beijar-te por fora, sentir-te por dentro. Vem! Cessa meu desejo, suga-me os mais Nobres e doces recantos, invade meu corpo Que, sôfrego, chora para ser domesticado. E grita: …

POR QUÊ?

Procuro-te tanto porque A veemência e o doce dos nossos beijos Hoje têm o gosto amargo da saudade. As risadas ingénuas, alegres e sinceras São agora como o êxtase dos mortos: Silêncio puro. E os nossos corpos nus, ardentes, perfeitos? Ah! Esses pobres! Desonrados, excitados, Também não se fundem mais. …