MENDIGO

Que olhar triste e sofrido, Deste irmão destroçado pela vida, Desejando um pouco de amor. Num gesto, pede, suplica Um carinho, um abraço fraterno. Porque já no leito materno, Ao nascer, tudo perdeu. Não resisto em dar-lhe A minha mão… Com ele caminho, Vamos andando sem rumo.

PAI

(Em homenagem a cada homem que cada filho no mundo chame de “pai”.) Hoje, a minha dor é infinita, O meu sorriso se apagou. Meu melhor amigo partiu. No meu coração, só a mágoa ficou. Não sei porque te foste, Sem ao menos um adeus. Das lembranças que trago, Guardo …

DESEJO INSANO

Deixa-me beber no cálice da tua boca, Sentir o aroma do teu corpo na minha tez, Acariciar e dominar a tua alma, Beijar-te por fora, sentir-te por dentro. Vem! Cessa meu desejo, suga-me os mais Nobres e doces recantos, invade meu corpo Que, sôfrego, chora para ser domesticado. E grita: …

É O FIM

É o fim Dos meus poemas de amor. Poemas tristes, dolorosos, Recheados de ódio e de rancor. Repletos de queixas e desamor. Onde Os poemas alegres, esperançosos Que mantinham acesa a paixão Que dilacerou o meu coração? Poemas que se lembravam de ti, Do “nós” que nunca existiu, E se …

PORQUÊ?

Procuro-te tanto porque A veemência e o doce dos nossos beijos Hoje têm o gosto amargo da saudade. As risadas ingénuas, alegres e sinceras São agora como o êxtase dos mortos: Silêncio puro. E os nossos corpos nus, ardentes, perfeitos? Ah! Esses pobres! Desonrados, excitados, Também não se fundem mais. …