ODEIO AMAR-TE, POESIA

Em “Odeio amar-te, poesia”, Irina Sopas confirma, por meio de sua verve poética, que toda forma de amar vale a pena. Num tempo em que o amor é também uma palavra gasta, nada melhor do que renová-la através da poesia. Aliás, é com amor que se faz poesia.

Título: Odeio Amar-te, poesia
Classificação Temática: Poesia
Status: Publicado
ISBN: 978 85 64321 17
ASIN: B0143S66B6
Edição: 2015
Editora: Escrytos 
Tamanho do Arquivo: 602 KB
Páginas: 79
Coordenação Editorial: Adilson Requião
Artista de Capa: Raissa Pion 
Revisão: Ricardo Alfaya
Brochura: Esgotado
Formato digital: Disponível - Comprar

Amei seus poemas!

Elvis Menezes

IRINA SOPAS
5
2019-10-20T00:13:14+01:00

Elvis Menezes

Amei seus poemas!
1
IRINA SOPAS

Personalidade inquieta, bonita, inteligente, questionadora e instigante, Irina começa bem. Sem dúvida, há muito caminho a percorrer, e espero que ela o faça com brilhantismo.

Ricardo Alfaya

IRINA SOPAS
5
2019-10-19T17:28:11+01:00

Ricardo Alfaya

Personalidade inquieta, bonita, inteligente, questionadora e instigante, Irina começa bem. Sem dúvida, há muito caminho a percorrer, e espero que ela o faça com brilhantismo.
1
IRINA SOPAS

Deus, família, amores, encontros e desencontros, paixões – um mergulho no mundo afetivo. É o que propõe Irina Sopas, em seu livro de estreia, com versos despojados, sem firulas, que com certeza encantarão o leitor.

Mano Melo

IRINA SOPAS
5
2019-10-19T14:49:53+01:00

Mano Melo

Deus, família, amores, encontros e desencontros, paixões – um mergulho no mundo afetivo. É o que propõe Irina Sopas, em seu livro de estreia, com versos despojados, sem firulas, que com certeza encantarão o leitor.
1
IRINA SOPAS

Cara, o livro está fantástico demais, assim como eu, outras pessoas com certeza vão se sentir mais confortáveis porque todo mundo passa por isso!

Thaiana Stolzenberg

IRINA SOPAS
5
2019-10-20T01:09:58+01:00

Thaiana Stolzenberg

Cara, o livro está fantástico demais, assim como eu, outras pessoas com certeza vão se sentir mais confortáveis porque todo mundo passa por isso!
1
IRINA SOPAS

Após a leitura de Odeio amar-te, poesia, concluo que Irina Sopas, escritora estreante, já domina rios do intenso sentimento amoroso e de seus meandros, águas bem conhecidas dos mais antigos de estrada (mas nunca completamente, pois uma das maravilhas do amor é que, não importa o tempo de vida, quem por ele é tocado sempre se surpreende).  Na transcendência da poesia, Irina ama e odeia, rejubila-se e sofre, acolhe e despede (fêmea que é de tempos pós-Florbela).  Oferece-nos assim uma poesia rimada como se partitura – ora tango, ora sonata – longe da pieguice.  Irina fala com conhecimento de causa.

O livro é uma reverência ao amor e a suas múltiplas faces. Durante a leitura, eu me percebi, muitas vezes, em encanto frente à jovem mulher que, com respeito ao aprendizado, busca o caminho da completude através da relação com o outro na era do desamor.

Sob o peso da geração do não limite, do desvalor aos sentimentos e de idolatria à matéria, a filha cúmplice – quase maternal – e o ser solidário, em Odeio amar-te, poesia, deixaram-me esperançosa: a fé e a confiança num Deus misericordioso me soaram comoventes.  Se, por um acaso (possibilidade remota, intuo eu), a bela (como uma musa de Chico Buarque ou Di Cavalcanti) e talentosa Irina não trilhasse a poesia, acredito que seu destino estaria sempre ligado às artes: é da natureza dessa moça.

Um brinde à estreia de Irina Sopas!

Márcia Leite

IRINA SOPAS
5
2019-10-19T14:47:48+01:00

Márcia Leite

Após a leitura de Odeio amar-te, poesia, concluo que Irina Sopas, escritora estreante, já domina rios do intenso sentimento amoroso e de seus meandros, águas bem conhecidas dos mais antigos de estrada (mas nunca completamente, pois uma das maravilhas do amor é que, não importa o tempo de vida, quem por ele é tocado sempre se surpreende).  Na transcendência da poesia, Irina ama e odeia, rejubila-se e sofre, acolhe e despede (fêmea que é de tempos pós-Florbela).  Oferece-nos assim uma poesia rimada como se partitura – ora tango, ora sonata – longe da pieguice.  Irina fala com conhecimento de causa. O livro é uma reverência ao amor e a suas múltiplas faces. Durante a leitura, eu me percebi, muitas vezes, em encanto frente à jovem mulher que, com respeito ao aprendizado, busca o caminho da completude através da relação com o outro na era do desamor. Sob o peso da geração do não limite, do desvalor aos sentimentos e de idolatria à matéria, a filha cúmplice – quase maternal – e o ser solidário, em Odeio amar-te, poesia, deixaram-me esperançosa: a fé e a confiança num Deus misericordioso me soaram comoventes.  Se, por um acaso (possibilidade remota, intuo eu), a bela (como uma musa de Chico Buarque ou Di Cavalcanti) e talentosa Irina não trilhasse a poesia, acredito que seu destino estaria sempre ligado às artes: é da natureza dessa moça. Um brinde à estreia de Irina Sopas!
1
IRINA SOPAS

Com o despontar de Irina Sopas no firmamento literário, por meio do livro de poemas "Odeio amar-te, poesia", a constelação poética em língua portuguesa, iluminada pelos sóis de Camões, Pessoa e Quental, ganhou uma fulgurante estrela rapidamente em vias de tornar-se supernova.

Paulo Schmidt

IRINA SOPAS
5
2019-11-11T14:28:09+00:00

Paulo Schmidt

Com o despontar de Irina Sopas no firmamento literário, por meio do livro de poemas "Odeio amar-te, poesia", a constelação poética em língua portuguesa, iluminada pelos sóis de Camões, Pessoa e Quental, ganhou uma fulgurante estrela rapidamente em vias de tornar-se supernova.
1
IRINA SOPAS